sexta-feira ,24 novembro 2017
Página Inicial / Saúde / Bahia registra primeira morte com suspeita de febre amarela, diz Ministério da Saúde

Bahia registra primeira morte com suspeita de febre amarela, diz Ministério da Saúde

O último boletim sobre casos suspeitos de febre amarela do Ministério da Saúde, com dados computados até o dia 29 de março, revelou que uma morte em decorrência da enfermidade está em investigação. O óbito aconteceu na cidade de Cândido Sales no mês de janeiro, mas o paciente, do sexo masculino, trabalhava em Minas Gerais e tinha passagem pelos municípios de Teófilo Otoni e Pedra Azul. A suspeita é que a contaminação tenha ocorrido em território mineiro.

Segundo a secretária de Saúde de Cândido Sales, Ana Célia Nascimento,  três ou quatro dias após Gilvani Santos Viana, 35 anos, ter chegado à zona rural do município, na localidade do Papagaio, apresentou sintomas característico de dengue, como febre e enjoo. Ele foi levado ao Hospital Municipal Deputado Luís Eduardo Magalhães, onde foi atendido, medicado e liberado.

Na tarde do outro dia, com sintomas mais agravados, voltou ao Hospital, quando surgiu a suspeita de febre amarela. Na manhã seguinte, ele foi a óbito, e o corpo foi encaminhado para o IML.

Num primeiro momento, agentes de endemias fizeram uma ação de bloqueio na localidade onde o homem morava e regiões vizinhas, aplicando inseticida a área com bombas costais e vacinando quem residia por ali.

A Secretaria Municipal de Saúde recebeu 1.500 doses extras de vacina para imunizar a população da cidade de 26.760 pessoas. Apesar de ainda ter imunizante disponível, Ana Célia Nascimento solicitou mais doses à Secretaria Estadual de Saúde. “As doses que o estado liberou não são suficientes para cobrir a demanda. Depois que houve a suspeita, a demanda aumentou muito”, conta.

Desde o mês de janeiro, nenhum outro caso suspeito foi notificado no município. Também não foram encontrados macacos mortos em Cândido Sales.

Notificações
Ainda segundo Ministério da Saúde, já foram notificados na Bahia 20 casos suspeitos de febre amarela. Destes, 12 foram descartados e oito continuam sob investigação. Os registros foram feitos em doze municípios. Desde o início do ano, 1,4 milhão de doses extras da vacina contra febre amarela foram enviadas para o Estado.

Os dados da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), datados de 28 de março, aponta que são 16 os casos suspeitos no Estado, sendo que sete haviam sido descartados e outros nove permaneciam em análise.

Os pacientes estão distribuídos em oito municípios: Coribe (4), Feira de Santana (1), Ilhéus (1); Itamaraju (2), Itiúba (1), Mucuri (1), Nova Viçosa (1), Teixeira de Freitas (3) e 2 casos com pessoas residentes no estado de Alagoas (que passaram por vários locais na Bahia). Os quatro casos de Coribe, o único de Mucuri e dois em Teixeira de Freitas já foram descartados.

Dinheiro
Na última quinta-feira (30) foram distribuídos pelo Ministério cerca de 1,9 milhão de reais para 16 municípios do interior da Bahia e para a Sesab intensificarem as ações de imunização contra a doença. Salvador ficou de fora dos repasses.

A cidade de Feira de Santana, onde 355 mil pessoas devem ser imunizadas contra a febre amarela, recebeu a maior quantia do MS, pouco mais de R$ 587 mil. Em segundo lugar ficou Vitória da Conquista, com R$ 326 mil. A Sesab recebeu pouco mais de R$ 176 mil. Clique aqui e veja a lista completa dos repasses.

Vacinação
Assim como nesta quinta-feira (30), Salvador registrou nesta sexta-feira (31), terceiro dia de vacinação em massa, uma grande procura pelo imunizante. No maior posto de saúde da região de Brotas, onde o primeiro macaco infectado foi encontrado, diversas pessoas aguardavam na fila para se proteger. Já na sala de vacinação, o carpinteiro Fernando Fredson Neto, 38 anos, falou sobre a preocupação. “Eu não tinha medo, mas aí estou vendo todo mundo vindo para os postos, resolvi adiantar logo meu lado”, comentou ele, que aproveitou para atualizar o cartão vacinal, tomando também as doses preventivas do DT [tétano e difiteria] e hepatite B.

Quem também esteve na unidade de saúde foi o encarregado de manutenção predial Sandoval Gomes de Oliveira, 32, que afirmou temer o mosquito. “Eu moro em Cosme de Farias, que também é Brotas, aí a gente fica ouvindo esse zum, zum, zum. Achei melhor me prevenir, antes que vire uma epidemia”, considerou ele, após tomar a injeção.

Para a copeira Maria do Carmo Silva, 42, a situação é mais grave do que parece. “As pessoas ficam rindo, achando que isso é brincadeira. Tem uma legião de mosquitos por aí, estamos em época de chuva, ou seja, tudo pode piorar”, acredita ela. A copeira afirmou, ainda, que não foi mais cedo se vacinar porque não teve tempo. “Por mim eu teria vindo desde a confirmação do primeiro caso, mas aí é uma coisa pra fazer aqui e ali, não consegui”, finalizou.

Macacos
Em Salvador, 37 macacos já foram resgatados pelo Centro de Zoonoses de Salvador (CCZ). O último foi encontrado na Ilha de Bom Jesus dos Frades nesta sexta-feira (31). Do total de primatas, seis tiveram diagnóstico confirmado para febre amarela (1 em Vila Laura, 1 em São Tomé, 3 no Itaigara e 1 na Ilha Amarela), três foram descartado e o restante ainda está sob investigação.

Quem encontrar um macaco deve acionar o CCZ pelo telefone (71) 3611-7372 nos dias úteis e nos feriados ou fins de semana deve acionar a Guarda Municipal de Salvador ou o Centro de Investigação Estratégico de Vigilância à Saúde pelo número (71) 3202-1721.(Redação Correio)

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Confira a lista da 1°Chamada do Processo Seletivo do Hospital Regional da Chapada

Entre os dias 19 e 20 de Novembro de 2017, ocorreu a etapa de envio …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *