quinta-feira ,16 agosto 2018
Página Inicial / Sem categoria / Brasil: Páginas ligadas ao MBL são excluídas do Facebook para impedir divulgação de ‘fake news’

Brasil: Páginas ligadas ao MBL são excluídas do Facebook para impedir divulgação de ‘fake news’

Os perfis envolvidos não foram divulgados, mas o próprio MBL informou que diversos coordenadores seus afetados | FOTO: Divulgação |

Quase 200 páginas ligadas Movimento Brasil Livre (MBL) no Facebook foram excluídas na última quarta-feira (25), com a alegação de pertencerem uma ‘rede de desinformação’. Os perfis envolvidos não foram divulgados, mas o próprio MBL informou que diversos coordenadores seus afetados. A notícia foi primeiramente divulgada pela agência de notícias Reuters. Segundo o Facebook, a iniciativa é parte dos esforços para reprimir perfis enganosos antes das eleições de outubro.

O Facebook disse em um comunicado que desativou 196 páginas e 87 contas no Brasil por sua participação em “uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”. Um procurador do Ministério Público Federal de Goiás pediu que, num prazo de 48 horas, a empresa esclareça quais são as páginas e justifique a iniciativa.

A página Brasil 200 também foi retirada do ar pelo Facebook. As fontes da agência Reuters, que falaram sob condição de anonimato, disseram que a rede era administrada por membros importantes do MBL. O grupo ganhou destaque ao liderar protestos em 2016 pelo impeachment da então presidente Dilma Rousseff. Representantes do MBL publicaram um comunicado em suas redes sociais no mesmo dia.

“Na manhã de hoje, 25/07/2018, diversos coordenadores do Movimento Brasil Livre (MBL) tiveram suas contas arbitrariamente retiradas do ar pelo Facebook. A alegação dada pela rede social é a de que se tratava de coibir contas falsas destinadas a divulgação de ‘fake news’”, comentou o MBL.

As páginas desativadas, que juntas tinham mais de meio milhão de seguidores, variavam de notícias a temas políticos, com uma abordagem claramente conservadora, com nomes como Jornalivre e O Diário Nacional, de acordo com as fontes da Reuters. Ao variar o controle compartilhado das páginas, os membros do MBL eram capazes de divulgar suas mensagens coordenadas como se as notícias viessem de diferentes veículos de comunicação independentes, segundo apuração da agência de notícias.

O que diz o Facebook?
O Facebook disse que retirou a rede do ar no Brasil após uma “rigorosa investigação” porque os perfis envolvidos eram falsos ou enganadores, violando sua política de autenticidade. A rede social tem um conjunto separado de ferramentas para combater a disseminação de notícias falsas com a ajuda de empresas externas de checagem de fatos. Jornal da Chapada com informações do G1BA.

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Celular se torna principal forma de acesso à internet no Brasil, mostra pesquisa

Pesquisa TIC Domicílios 2017 mostrou que a conexão à internet somente pelo celular se tornou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *