quarta-feira ,16 outubro 2019
Página Inicial / Acidente / Irecê: Integrante da banda Sala de Reboco comenta como foi a perseguição policial, que ocasionou na morte da dançarina

Irecê: Integrante da banda Sala de Reboco comenta como foi a perseguição policial, que ocasionou na morte da dançarina

Uma dançarina da banda cearense de forró “Sala de Reboco” morreu, na madrugada desta sexta-feira (5), após ser baleada na cidade de Irecê, no norte da Bahia depois de uma abordagem policial. Na ocasião, três pessoas foram baleadas: Gabriela Amorim, de 25 anos; o sanfoneiro Eliedelson Possidônio Júnior, de 32 anos; e a cantora Joelma Rios. O veículo que os componentes da banda estavam era SW4, de cor preta.

A cantora Joelma Rios após o ocorrido deu entrevista à Rádio Caraíbas Fm da cidade de Irecê, relatando o ocorrido, e como se deu todo desfecho da história. Segunda, ela: “depois da turnê do São João, ela e mais alguns membros da banda saíram para comemorar, e comer uma galinha caipira em uma cidade chamada Lapão que fica a 11km de Irecê na casa de conhecidos, como forma de despedida.”

Ainda segundo a cantora: “quando estávamos retornando, fomos seguidos pela polícia, onde em momento nenhum percebemos que era a polícia, e logo em seguida começaram a atirar contra o nosso carro. Foi uma noite de pesadelo aquela perseguição, foi uma fatalidade, que chocou a todos nós da família e banda Sala de Reboco, principalmente pela morte da nossa amiga Gabi uma jovem que tinha muitos sonhos. Quando fomos abordados o giroflex da polícia não estava ligado, a luz estava baixa, e quando percebemos os disparos, eu sair do carro com as mãos para cima, gritando, dizendo que no carro só tinham trabalhadores, artistas.”

Após ser atingida, a dançarina Gabriela ainda foi socorrida para o Hospital Regional de Irecê, mas não resistiu ao ferimento e venho a óbito. Já o sanfoneiro, Eliedelson Possidônio Júnior foi baleado na perna e está internado na mesma unidade de saúde. Já a cantora Joelma Rios foi atingida nas nádegas e de raspão na perna.

De acordo, o dono da banda, Antônio Neto Rocha, mais conhecido como Toinho Produções: “Eles estavam se despedindo dos amigos e iriam embora de Irecê hoje [sexta-feira]. Só queriam se despedir comendo uma galinha famosa aqui na região, e quando voltaram aconteceu isso”, lamentou Antônio.

A nossa equipe de reportagem do Chapada News entrou em contato com as Polícias Civil e Militar para levantar detalhes sobre a atuação dos policiais e posicionamento sobre o caso. Por meio de nota, a Polícia Civil informou que equipes da 14ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior de Irecê (14ª Coorpin) investigam as circunstâncias da morte de uma mulher e dos feridos.

Também em nota, a PM lamentou a morte de Gabriela Amorim e afirmou estar comprometida com a apuração dos fatos. O documento aponta também que o Comando de Policiamento Regional da Chapada (CPR) instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar as circunstâncias da ocorrência.

 

 

 

 

Fonte: Direto da Redação

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Paramirim-BA: Polícia Civil prende homem que teria assassinado mulher a mando do ex-companheiro dela

Um homem, identificado como Rony Silva de Souza, vulgo ‘Roninho’, foi preso nesta segunda-feira (14), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *