terça-feira ,17 outubro 2017
Página Inicial / Economia / Lajedinho realiza audiência pública, dia 28, para apresentar Projeto de Instalação de Fábrica de Cimento

Lajedinho realiza audiência pública, dia 28, para apresentar Projeto de Instalação de Fábrica de Cimento

Durante o pico da fase de construção, podem ser gerados até 2 mil empregos | FOTO: Reprodução/Blog Bia Oliveira |

Na próxima sexta-feira, dia 28 de abril, às 9h, o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos – INEMA, realizará em Lajedinho uma Audiência Pública para apresentar à população o estudo ambiental referente ao “Projeto Lajedinho”, da empresa CPX Baiana. A ideia é debater sobre a extração do calcário para a fabricação de cimento em responsabilidade da mineradora.

Ao Chapada News a empresa CPX, declara que são equipamentos com alta eficiência energética, resultando em baixo consumo de energia elétrica e de combustível. Têm filtros de grande potência, que retêm 99,9% do pó gerado, o que significa um processo produtivo limpo com tecnologias que permitirão um consumo de água 40% menor que em uma fábrica de cimento convencional e de mesmo porte. O baixo consumo de água é assegurado também pelo método de fabricação de cimento, que será pela via seca. A água será obtida exclusivamente de poços profundos dentro da própria fazenda da empresa, que serão suficientes de acordo com estudos hidrogeológicos. O tratamento dos efluentes sanitários, por sua vez, será integral, numa Estação de Tratamento de Esgoto (ETE).

A empresa garante que não haverá impacto ambiental e nem mesmo quem passa pela estrada verá a fábrica ou mina, pois ficarão protegidas atrás de um morro e pela vegetação presente no entorno, não impactando qualquer unidade ou área de preservação. Isto também servirá como barreira natural ao som, preservando a qualidade de vida das populações mais próximas.

A expectativa é de que a instalação dessa fábrica revitalize a economia da região do semiárido, uma das mais carentes do estado da Bahia. A fábrica pode impulsionar uma vasta gama de negócios: postos de gasolina, oficinas e borracharias, hotelaria, alimentação, segurança, fortalecimento da construção civil, etc.

A nova fábrica de cimento deverá entrar em operação em até dois anos e meio após o início de suas obras. Durante o pico da fase de construção, podem ser gerados até dois mil empregos. Já na fase de operação, a previsão é de cerca de 200 empregos diretos e outros 600 indiretos.

Da Redação – Chapada News

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Exposição fotográfica sobre o Rio Paraguaçu vai percorrer seis cidades da Chapada Diamantina

As imagens aéreas do maior rio da Bahia, o Paraguaçu, registradas pelo fotógrafo Rui Rezende, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *