terça-feira ,19 junho 2018
Página Inicial / Noticias / Seabra: Grupo Quem Ama Castra participa do programa Resumo da Manhã, confira

Seabra: Grupo Quem Ama Castra participa do programa Resumo da Manhã, confira

Na última sexta (25), as representantes do Grupo Quem Ama Castra, Thereza Gabriela Martins e Rosilanny Alcântara, participam do Programa Resumo da Manhã, da Rádio Nova Fm com o Garotinho. Onde foram tratados assuntos como: quem é o grupo Quem Ama Castra, qual o trabalho que desenvolvem, também falaram de cinomose, e como você pode ajudar na continuação do trabalho desse grupo, onde todos os dias eles voluntáriam uma parte do seu tempo para cuidar de animais de rua.

Como poucos conhecem o fantástico trabalho desse grupo, logo de início Garotinho pergunta se é um grupo ou associação. Gabriela responde “estamos regulamentando nossa situação, vamos passar a ser associação para ganharmos força”. Ela ainda aproveita a ocasião para explicar quem é o grupo. “O grupo composto por sua maioria mulheres, mas que também tem uma meia dúzia de homens, pessoas apaixonadas por animais, que se encontraram como se fossem uma família. Estamos tentando fazer um trabalho com os animais da cidade, por conta do descontrole de natalidade. A proposta do grupo é castrar cadelas de rua.

Começamos o trabalho em novembro, recolhendo cadelas, fazendo tratamento e castra. Em meio a essa ideia das castrações, as pessoas da cidade têm buscado o grupo para receber animais em situações caóticas, como abandono, atropelamento, doenças. E não podemos fechar os olhos. Recolhemos o animal, levamos para a clínica tratamos. Tudo isso sob nossas doações mensais, rifas, bazar, estamos na feira uma vez por mês. Mas de umas 2 semanas pra cá está tendo um problema assolando os cães da cidade, o grupo já recolheu 5 cães com essa doença, e teve que eutanásia e enterrar.

O maior motivo de eu estar aqui é eutanásia. Um processo no qual o animal toma uma anestesia geral, como se fosse fazer uma cirurgia, para que ele não sinta o momento em que ele morre. Tudo correto, sem sofrimento para o animal.[…] Isso tem um custo médio de R$ 250,00 por animal, ou seja, nosso grupo que vive de doação, praticamente do próprio grupo”.

“O que eu queria falar aqui na verdade, é que as pessoas em suas casas, em seus bairros, elas tentem se unir e também meter a mão massa, porque o negócio está de um jeito que nós não damos conta, nem no financeiro, nem no tempo. Os veterinários da cidade já estão se solidarizando em cobrar o mínimo. No caso da eutanásia eles estão cobrando só o medicamento”, conta Gabriela.

Garotinho comenta, é bom deixar isso bem claro, pra quem está em casa entender como é que funciona. Gabriela complementa que o centro de endemias foi procurado, para se pedir ajuda na medicação, sendo que o mais caro é a anestesia, e o centro de endemias respondeu foi que só poderia eutanásiar animais com calazar. “Ou seja, não pode nos ajudar”, desabafa a voluntária.

Quando perguntada sobre a questão da cinomose, se já haviam exames para comprovar, sobre o boato de surto, a entrevistada responde que “o boato existe, porém exame nós não temos na cidade para diagnosticar”. Garotinho ressalta que é um assunto que está na rede, e como as pessoas convivem com o problema, por mais que não tenha o exame comprovando, aquilo que se observa, tudo indica que seja. A entrevistada responde que existe um quadro clinico, sintomas como cátaro no nariz, perda de equilíbrio, um quadro bem feio, e se não eutanasiar, a morte é muito sofrida, o animal sente dores terríveis.

Garotinho pergunta quanto a questão do contagio. “O contágio só funciona para outros animais, outra coisa que a gente precisa deixar bem claro, para cães e gatos. Estamos querendo também alertar as pessoas para as vacinas dos seus cães e gatos, principalmente se eles têm até um ano, idade que são mais vulneráveis e podem pegar essa doença, na qual o animal morre, e se não for eutaniado, morre sofrendo. O mais indicado para a prevenção é a vacina importada, por ter maior eficacia”, explica Gabriela.

A entrevistada aproveita o assunto e faz um desabafo, “Precisamos em Seabra fortalecer essa cultura de amor aos bichos, pois em Seabra as pessoas não querem gastar com os animais”.

Garotinho fala que cultura requer campanha, “a gente percebe que o município não pode colaborar, pois o município tem um seguimento, para que se vacine ou para eutanásia do animal. Mas para as campanhas, vocês já procuraram o departamento de comunicação da prefeitura? A gente pode começar a fazer uma campanha aqui no rádio, mas o município também tem uma equipe boa para conscientizar, eu acho que precisa muito da questão da conscientização e pra ajudar na conscientização, nada melhor do que a divulgação do trabalho, de como fazer, princialmente essas questões do trabalho de vocês que estão a frente”.

Rosilanny diz “a educação é o inicio de tudo, quando a gente tem informação sobre o assunto, é bem mais fácil de ser resolvido. É necessário essa ação, é de extrema importância. Informação, temos nosso instagran, temos o facebook, mas não é suficiente, a informação em massa é que dá resultado.

Para quem quiser ajudar, nós temos uma conta na caixa econômica federal, recebemos doações de roupas, calçados, acessórios, que podem ser deixados na Loja Champion Time, doações em dinheiro também podem ser deixadas lá.

Quero reforçar o pedido das doações para o bazar que é a nossa maior renda, que acontece uma vez por mês, geralmente no inicio do mês. Gente, por favor, doem, pelo amor de Deus, pela causa animal, têm muitos animais sofrendo na nossa cidade e necessitamos de doações”.

“Quero também fazer um apelo a população, quem tem seus animais, não deixem soltos, pois é um risco. Cachorro não precisa viver solto. Ele precisa de amor, carinho, de comida, de água. Não deixem soltos, pois há risco de atropelamento, de maus tratos e doenças”, finaliza Rosilanny fazendo um apelo.

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

CopaDoMundo: Veja quais são os dias e horários dos jogos do Brasil no torneio da Rússia

O ponta pé inicial da Copa do Mundo Rússia 2018 foi dado nesta quinta (14), …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *