quinta-feira ,21 fevereiro 2019
Página Inicial / Economia / Vale do Capão: Empresa familiar investe em cosméticos naturais como saída para crescimento financeiro

Vale do Capão: Empresa familiar investe em cosméticos naturais como saída para crescimento financeiro

Quase nunca paramos para avaliar o que colocamos em nossa pele e acabamos consumindo produtos e cosméticos industrializados, com substâncias que nem sabemos pronunciar direito. Ir na contramão dessa lógica, buscando produtos naturais, artesanais, feito com matérias-primas que passam longe dos produtos químicos e conservantes, muitos deles feitos à base de petróleo. Pensando nessa melhor qualidade de vida e buscando um meio para empreender, Ana Cláudia iniciou a empresa Cosméticos Naturais Vale do Capão, local em que ela vive, há mais de 15 anos, no município de Palmeiras, Chapada Diamantina.

Ela teve a ideia após sair de casa, em Salvador, para ir morar no Capão, sem consentimento dos pais, e depois de conhecer um banho de lama no Rio de Janeiro. “Comecei a pesquisar muito, aí criei o primeiro produto, uma máscara, de argila com água de uma nascente daqui e levei para a cidade para vender. Algumas pessoas gostaram, mas ainda não era o ideal, a embalagem não estava boa, tive que mudar a etiqueta”, contou ao Jornal da Chapada. “Da máscara desenvolvi sabonetes, argila em pó dentre os 23 produtos que temos”, disse Ana.

Com o ex-marido, Ana criou a empresa e a partir daí conseguiu vender seu mix a uma loja de uma rede especializada em produtos naturais, em Salvador. A cada ano a empresa tocada pelos dois, mesmo separados, lança um novo produto. “Começamos a desenvolver o produto juntos, há 16 anos. Apesar de separados, continuamos na empresa juntos, com os mesmos ideais de levar harmonia, positividade e paz para as pessoas”, revelou. Eles buscaram criar uma consciência ambiental quanto ao que estavam vendendo.

“Vi necessidade de levar produtos de qualidade para a pele, mas principalmente que não agridam o meio ambiente”, disse, contando como os produtos industrializados fazem mal à natureza. Sendo que os sabonetes artesanais, por exemplo, podem ter fins terapêuticos, de cicatrização, nutrição, hidratação e proteção da pele, não poluem, podem têm propriedades variáveis, dependendo dos óleos e extratos usados em sua produção. Com todos os benefícios eles têm visto um crescimento na busca por esse tipo de cosmético e assim vão conquistando seu espaço no mercado com um produto original chapadeiro.

 

Fonte: Jornal Chapada

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Iraquara: TCM reconsidera e aprova contas de ex-prefeito; multa é reduzida para R$7 mil

O ex-prefeito do município de Iraquara, na Chapada Diamantina, Landualdo Freitas Júnior, conseguiu que o …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *