segunda-feira ,26 fevereiro 2024
[adsanity_group align='alignnone' num_ads=1 num_columns=1 group_ids=309]
Página Inicial / Polícia / Acusado por homicídio e roubo é absolvido em Ipirá. Defesa tinha vídeo de jovem em local oposto ao do crime

Acusado por homicídio e roubo é absolvido em Ipirá. Defesa tinha vídeo de jovem em local oposto ao do crime

Foto: Reprodução

O jovem Túlio de Jesus Silva, que foi acusado por homicídio qualificado e roubo na cidade de Pintadas, no território da Bacia do Jacuípe, foi absolvido após júri popular nesta segunda-feira (15). O julgamento aconteceu na cidade de Ipirá, cidade vizinha a Pintadas.

Túlio foi acusado por invadir o Bar Beira Rio para cometer um assalto no dia 17 de agosto de 2021, junto com um comparsa que nunca foi identificado. Ele também foi acusado de ter matado a gerente do estabelecimento, Adeniclei de Assis, além de ter roubado o celular, relógio e R$ 50 de um cliente.
A defesa do jovem alegou que, no momento em que os crimes foram cometidos, Túlio estava a caminho de casa, onde jantou, tomou banho e passou um tempo no celular, esperando a namorada chegar. Durante o processo, a defesa de Túlio mostrou um vídeo onde o aparece jovem um bairro diferente do que o crime foi cometido.
O laudo da investigação da Defensoria Pública também apontou que, ainda que Túlio mudasse de sentido e fosse em direção ao bar onde o crime ocorreu, ele levaria cerca de 12 minutos e chegaria ao local muito tempo depois do assalto e homicídio terem sido praticados.
Mesmo com álibis, o jovem foi preso 24 horas após o crime. Segundo a defesa, policiais militares foram até a casa do jovem e o levaram com a informação de que ele apenas prestaria esclarecimentos sobre o caso.
Depois disso, Túlio não retornou mais para casa. Ele ficou preso durante cerca de um ano e nove meses na delegacia da cidade e depois no Presídio de Feira de Santana.
Após o júri nesta segunda, ele retornou para o presídio de Feira de Santana, onde irá aguardar o cumprimento do alvará de soltura.
Fonte: g1/BA

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Chapada: Caso Ivanildo Macário avança, mas segue sem solução. Família de desaparecido acredita em assassinato

“Tinha sangue no cabo de um machado”, diz advogado. O que era para ser um …

[wp_bannerize group="Banner Rodapé" random="1" limit="1"]