segunda-feira ,18 outubro 2021
Página Inicial / Meio Ambiente / CHAPADA: Comemoração dos 36 anos do Parque Nacional conta com ações para a conservação de cavernas

CHAPADA: Comemoração dos 36 anos do Parque Nacional conta com ações para a conservação de cavernas

Foto: ICMBio

Na última sexta-feira (17), o Parque Nacional da Chapada Diamantina (PNCD), comemorou seus 36 anos com ações diretas para a conservação de suas cavernas, com o curso o curso de “Introdução à conservação e a recuperação ambiental de cavernas turísticas”, realizado em Lençóis entre os dias 13 a 17 de setembro, com carga horária de 40h. Foram 25 participantes entre condutores de visitantes, brigadistas e profissionais envolvidos no manejo de cavernas turísticas da região.

O curso contava com saídas diárias a campo para a Gruta do Lapão, em Lençóis, e uma saída para Iraquara. A primeira atividade foi mapear os impactos causados pelo turismo desordenado, como pichações, restos de lixo, pisoteamento e destruição de espeleotemas. E para remediar alguns dos danos frequentes causados pela visitação, foram apresentadas técnicas de limpeza de espeleotemas que foram aplicadas na gruta da Lapa Doce, em Iraquara, e técnicas de remoção de pichações na Gruta do Lapão.

Foto: ICMBio

“As cavernas são ambientes extremamente frágeis, por isso, saber por onde pisa é essencial para a preservação do patrimônio espeleológico. Para evitar impactos futuros, foi delimitado, com pequenas placas refletivas e cordeletes, o percurso da trilha de travessia do Lapão e áreas com espeleotemas muito frágeis”, esclarece publicação do site PNCD.

“O intuito dessa ação foi restringir a área de passagem de visitantes e, assim, minimizar o impacto causado pelo pisoteamento de ambientes importantes”, explica Marcela de Marins, analista ambiental do ICMBio.

Outra atividade realizada foi o início de um projeto colaborativo de monitoramento da Gruta do Lapão. Através do estabelecimento de pontos estratégicos, futuramente será possível realizar o foto-monitoramento dessas áreas pelos participantes do curso. Ao longo do tempo, eles vão fotografar esses mesmos pontos e assim registrar eventuais mudanças que estão ocorrendo dentro da gruta. As imagens serão postadas em site exclusivo do curso. “Essa técnica permite a análise de diversos aspectos para a conservação da caverna”, explica Vitor Moura, espeleólogo e instrutor do curso.

“Além dessas ações, o curso dá base para os participantes atuarem também como agentes multiplicadores desses cuidados em outros projetos autorizados por autoridades ambientais”, destaca Moura.

A iniciativa faz parte das ações do Termo de Compromisso de Compensação Espeleológica firmado entre a Vale S.A. e o Instituto Chico Mendes de Conservação para a Biodiversidade (ICMBio), com gestão operacional realizada pelo Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS). E contou com o apoio da UEFS, Prefeitura Municipal de Lençóis, Pousada Diamantina, pousada Bosque do Lapão e Gruta Lapa Doce.

Foto: ICMBio

Chapada News com informações do ICMBio

 

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

NOVO HORIZONTE: Preso suspeito de tentativa de homicídio que se escondia na zona rural da cidade

Durante a deflagração da segunda fase da “Operação Unum Corpus”, na cidade Novo Horizonte, na …