terça-feira ,28 setembro 2021
Página Inicial / Economia / #CHAPADA: Criação de parque eólico em Morro do Chapéu impulsionará geração de 1 gigawatt de energia em meio à escassez hídrica

#CHAPADA: Criação de parque eólico em Morro do Chapéu impulsionará geração de 1 gigawatt de energia em meio à escassez hídrica

Aerogeradores são os responsáveis por captar energia eólica — Foto: Maxwell Almeida

Dentre as diversas empresas investidoras no mercado de energia renovável, especialmente relacionada a parques eólicos na Bahia, está a empresa Casa dos Ventos que responde por 1/3 de toda energia renovável implantada em todo o estado.

Agora a Casa dos Ventos está em Morro do Chapéu, na Chapada Diamantina, implantando o projeto de criação de parque eólico que prevê a instalação de potencial de geração de 1 gigawatt, que tem potencial suficiente para abastecer uma cidade de 1,5 milhão de habitantes.

As obras desse parque eólico são parte da escala de crescimento da produção de energia eólica na Bahia. Esse potencial de geração, além de poder ser exportado, também contribui para a geração de energia em meio à escassez hídrica.

As obras começam efetivamente em setembro, com os equipamentos de sondagens que já estão em campo. A previsão é que a construção do primeiro módulo em Morro do Chapéu leve dois anos, portanto, todo o complexo deve ser em torno de cindo anos.

“Essa primeira fase, normalmente entre o momento em que se coloca o primeiro trator em campo para abrir a área, para fazer o canteiro central, até o comissionamento, a entrada da última máquina, da última turbina, estimamos um prazo de aproximadamente dois anos, ou seja, de setembro de 2021 até setembro de 2023. Mas esse é o primeiro módulo, de um projeto maior de 1 giga”, avalia Clécio Eloy, diretor de desenvolvimento da Casa dos Ventos.

Impulsionamento de energia – Segundo a Casa dos Ventos, a Bahia tem energia mais barata do mundo, que é a energia eólica.  A Bahia tem aproximadamente quatro mil megawatts, ou seja, quatro gigawatts de energias renováveis em operação. O grande problema do estado é a questão da capacidade de escoamento de energia que requer muitas obras para que esta energia seja despachada para o grande consumo do Brasil, que é o Sudeste.

Geração de Renda – A implantação dessa obra gera renda tanto pela exportação da energia, quanto na construção do local.  Segundo o G1, nesse primeiro módulo chega a gerar aproximadamente 1.200 empregos diretos, em atividades diversas. Vão desde aluguel de equipamentos, veículos, tratores, caminhões, carros-pipa, esse tipo de coisa, até o mais direto fomento da atividade comercial. A geração de renda indireta também tende a crescer, com a movimentação da mão de obra no local de construção.

Sustentabilidade – Além de ser uma fonte renovável, a energia eólica é uma fonte de geração limpa, porque não emite poluentes e nem dióxido de carbono. O diretor da Casa dos Ventos detalha ainda outros pontos sustentáveis.

“Quando eu coloco uma turbina eólica em Morro do Chapéu, eu diminuo a possibilidade de ter que fazer novas represas e rios e com isso fazer inundações, destruir o meio ambiente, ter que deslocar cidades como aconteceu aqui no estado da Bahia mesmo, na barragem da represa de Sobradinho”, esclarece Eloy. Chapada News com base no texto do G1

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Suspeito de matar pediatra em clínica, utilizou durex nos dedos e teve digital reconhecida por palma da mão

Preso nesta segunda-feira (27), o suspeito de matar o médico pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, de …