segunda-feira ,16 maio 2022
Página Inicial / Economia / Chapada: Fazenda Matos, em Mucugê, se destaca pela sustentabilidade implementada por Agrônoma e Cafeicultora

Chapada: Fazenda Matos, em Mucugê, se destaca pela sustentabilidade implementada por Agrônoma e Cafeicultora

Foto: Bring Filmes | Julien Pereira Pinto

A Cafeicultora e Agrônoma Tadeane Pires Matos, mora na cidade de Mucugê, na Chapada Diamantina e trabalha na Fazenda Matos, propriedade da família, na qual sua dedicação maior é em produzir grãos de qualidade e com sustentabilidade. Cresceu em meio aos pés de café, com seus avós como produtores e atravessadores, na época. De quem ela sente muita falta.

Em meios aos pés de café e por influência da família, Tadeane optou por estudar Agrnomia e dedicar integralmente ao negócio da família. E hoje divide com os pais a administração rural, e a maior preocupação deles é produzir grãos de qualidade. Tanto que foi por conta disso que, em 2018, o café da Fazenda Matos ganhou o segundo lugar em uma premiação dos Melhores Cafés do Brasil.

Publicidade

“A gente quer oferecer para as pessoas um café que elas possam sentir e mudar um pouco o conceito de café amargo ou café preto e sim um café gostoso, saboroso, que ela vai sentir a fruta e, principalmente, que vai sentir toda a nossa história, toda a nossa luta, porque ser agricultor não é fácil”, comentou Tadeane ao G1.

A Fazenda Matos se destaca não só pela história e pela qualidade do café, mas também pela sustentabilidade. Hoje não são usados defensivos agrícolas no cultivo, mas sim, dejetos de peixes que são criados em um tanque dentro da propriedade onde também há uma reserva natural de mata. Além disso, há um projeto de usar a energia solar para abastecer a propriedade ou até, tornar o local totalmente autossustentável no quesito energia. Mudanças essas implementadas pela cafeicultora depois da faculdade.

Foto: Bring Filmes | Julien Pereira Pinto

“A educação é a base para mudança, para mudança cultural, para tudo. Então, quando a gente sai para estudar, é um processo de abrir a sua mente para entrar em contato com as outras pessoas, entrar em contato com a tecnologia, porque a tecnologia é humana, os seres humanos são inteligentes e só querem melhorar o sistema. A agronomia serviu e serve até hoje para você tentar diminuir os custos de produção e ter maior produção com qualidade. Então, tudo o que é conhecimento, independentemente de ser agrônoma ou não, facilita tudo ao redor”, comentou ao site G1, a Agrônoma que também é barista e degustadora de café.

Chapada News

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

IBITIARA: Prefeito quer ampliar mineração na região de Ibitiara

O Prefeito de Ibitiara, na Chapada Diamantina, Wilson Santos Souza, popularmente conhecido como Wilson de …

No Banner to display

Vídeo Destaque

Previsão