Página Inicial / Entretenimento / Chapada: Governo federal nega apoio a Festival de Jazz do Capão após evento se posicionar como ‘antifascista’

Chapada: Governo federal nega apoio a Festival de Jazz do Capão após evento se posicionar como ‘antifascista’

Realizado desde 2010 em Palmeiras na Chapada Diamantina, o Festival de Jazz do Capão teve apoio negado pelo governo federal, um ano após a organização do evento se manifestar como “antifascista” nas redes sociais.

“No dia 01/06/2020, o Festival de Jazz do Capão decidiu se posicionar, na sua página do Facebook, a favor da Democracia e contra o Fascismo. Passado um ano, a referida postagem foi citada como motivo principal para que o nosso projeto de captação na Lei Rouanet tivesse um parecer desfavorável para a sua aprovação”, denunciou a equipe do festival.

Segundo a organização, desde sua criação, o evento nunca teve reprovada a captação via lei de incentivo. Agora, no entanto, a Fundação Nacional de Artes (Funarte) alega “desvio de objeto, risco à malversação do recurso público incentivado com propositura de indevido uso do mesmo” para negar o apoio.

Segundo a organização do evento, o parecer apresentado pelo governo “se abstém de analisar características técnicas e a qualidade artística do festival, que nas suas 8 edições vem democratizando a Cultura e fomentando a produção e o acesso da música a um público cada vez mais abrangente”.

Apesar da decisão do governo, os organizadores do Festival de Jazz do Capão destacaram que a postagem em questão não foi financiada por recursos públicos, já que se deu em 2020, quando sequer houve o evento e tampouco patrocínio. Além disso, eles informam que a publicação não fez parte de divulgação oficial de suas atividades. “Ela não ataca governos, instituições nem pessoas, pelo contrário diz em sua descrição que não podemos aceitar o fascismo, o racismo e nenhuma forma de opressão e preconceito”, acrescentam.

“O objetivo e finalidade maior de toda música não deveria ser nenhum outro além da glória de Deus e a renovação da alma”, atribuido a J. S. Bach; “Por inspiração no canto gregoriano, a Música pode ser vista como uma Arte Divina, onde as vozes em união se direcionam à Deus”; e “A Arte é tão singular que pode ser associada ao Criador”. Com informações do Bahia Noticias

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Mais de 200 municípios baianos não registraram morte por Covid em julho 14 estão na Chapada.

A Secretaria da Saúde da Bahia anunciou, nesta quinta-feira (22), que 202 municípios do estado …