sábado ,18 setembro 2021
Página Inicial / Meio Ambiente / Chapada: MP denuncia acusado de grilhagem no Vale do Capão. Área equivale a 150 campos de futebol.

Chapada: MP denuncia acusado de grilhagem no Vale do Capão. Área equivale a 150 campos de futebol.

(Reprodução/Redes Sociais)

Nesta terça-feira (14) uma audiência irá determinar as sanções sobre o esquema de grilhagem, ocupação de terra e degradação do meio ambiente, ocorridas no Vale do Capão, em Palmeira na Chapada Diamantina. José Mariano Batista de Souza, acusado de fazer grilhagem á mais de 20 anos, foi denunciado à justiça pelo Ministério Público da Bahia (MP-BA). Caso seja condenado pelos crimes apontados pelo órgão, a pena mínima ultrapassa quatro anos de prisão.

Segundo o MP, Mariano e a esposa, a policial civil aposentada Leila Tatiana Martins, invadiram e ocuparam ilegalmente uma área de 153 hectares, o equivalente a 150 campos de futebol, no interior do Parque Municipal do Boqueirão, que é uma área de aplicação da Lei da Mata Atlântica, dentre os limites do município de Palmeiras. A ocupação se dá desde 2010, sem comprovação da posse.

Conforme o MP, Mariano é conhecido na região por ser agressivo, fazer constante ameaças a nativos. Diversos boletins de ocorrência foram registrados contra ele. Ele ainda é alvo de três outras ações penais, por lesão corporal leve, ameaças e tráfico de drogas, e outras duas na área cível. De acordo com moradores, ele vendeu terras para dezenas de pessoas ao longo da vida, principalmente visitantes e turistas estrangeiros que frequentam a trilha de Águas Claras.

Outros envolvidos

Segundo o MP, O presidente da Cooperativa dos Garimpeiros de Novo Horizonte (COOPEGANH), Flávio José Mota Junior, também estaria envolvido no esquema de grilagem. Ele chegou depois e ajudou Mariano e esposa a lotear e vender as áreas. Flávio nega e disse ao Correio 24 horas: “É de extrema má fé, desprovida de verdade e passiva de processo, essa nociva calúnia. Jamais tive relação comercial ou de amizade com esse senhor [Mariano] e me nego a comentar sobre a conduta do mesmo”.

Outro denunciado foi o primo de Mariano, Afonso Felinto Timóteo, por crime ambiental. De acordo com o MP ele degradou o meio ambiente ao abrir uma estrada no interior do Parque Boqueirão no início de 2019. Fato comprovado por uma Nota Técnica do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), que indicou que Timóteo suprimiu uma área de 525 m² de vegetação nativa do Parque. No Inquérito Policial, o denunciado confessa que realizou supressão de vegetação nativa do bioma Mata Atlântica._
Chapada News com informações base do Correio 24 Horas_

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Jacobina: Carro pega fogo após batida na BR 324

No final da tarde desta quarta-feira, 15 de setembro de 2021, foi registrado um acidente …