Página Inicial / Noticias / Chapada: Vale do Pati passará por vistoria da vigilância sanitária como parte do protocolo de reabertura

Chapada: Vale do Pati passará por vistoria da vigilância sanitária como parte do protocolo de reabertura

As hospedagens de apoio para quem faz a trilha do Vale do Pati, comunidade tradicional, localizada na Chapada Diamantina passará por vistorias da Vigilância Sanitária municipais com o intuito de garantir a saúde coletiva de todos os hospedes e nativos da comunidade.
Os protocolos sanitários específicos para as hospedagens foram abordados pelas autoridades sanitárias dos municípios de Andaraí e Mucugê, em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIO) em uma em reunião com os moradores da região.

No fim do mês de fevereiro, haverá uma visita técnica das vigilâncias sanitárias municipais para avaliar as casas de apoio. Conforme, responsáveis pela Vigilância Sanitária de Andaraí e Mucugê, Carlos Junior e Francielly Profeta: “só após essa vistoria será possível confirmar a data de reabertura que está prevista para 15 de março.”

A localidade é de difícil acesso e as hospedagens ocorrem em ambientes compartilhados, dentro das casas dos moradores. “Existe todo um cuidado para garantir a saúde da comunidade, o posto médico mais próximo está a 5 horas de distância das residências”, ressalta secretária de Turismo de Mucugê, Fabiana Profeta.

Dentre as principais exigências para a reabertura parcial está o agendamento eletrônico da visitação na plataforma janoo.com.br (ainda não disponível), e que as hospedagens operem com grupos reduzidos e, no máximo, 50% de sua capacidade. Também será estipulado um limite de visitantes para os atrativos naturais do Vale do Pati.“Além da segurança sanitária, as novas normas visam ordenar a visitação no Vale do Pati e reduzir os impactos ambientais causados pelo turismo desordenado”, destaca a analista ambiental do ICMBIO, Marcela de Marins.

Os atrativos do Parque Nacional da Chapada Diamantina estão sendo reabertos gradualmente para o turismo desde o mês de novembro. Para definir quais atrativos serão abertos ou não, o ICMBIO acata o posicionamento das autoridades sanitárias em nível municipal, estadual e federal; das comunidades que residem no interior do Parque Nacional, quando for o caso, e considera critérios de vulnerabilidade ambiental.

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Brotas de Macaúbas: Vagas de emprego serão geradas com investimento em empresas de energia eólica

Na última terça-feira (08) as empresas, Statkraft Energias Renováveis e a Ventos de São Vitorino …