Página Inicial / Economia / Cidades sem saneamento básico, emprego e asfalto gastam milhões com shows de sertanejos

Cidades sem saneamento básico, emprego e asfalto gastam milhões com shows de sertanejos

Prefeituras de cidades pequenas no interior do país gastam mais de R$ 14,5 milhões, em ano eleitoral, com cachês de shows de cantores sertanejos, como Gusttavo Lima, Wesley Safadão, Luan Santana e Leonardo.

Apesar do alto valor do montante, em alguns casos, nos municípios falta saneamento básico, asfalto e posto de saúde. Em levantamento do Estadão aponta que 48 municípios nessa situação.

Os valores são bancados por deputados e senadores por meio das chamadas “emendas Pix”, cujos recursos são enviados diretamente para as prefeituras, sem a necessidade de especificar a destinação do gasto.

É o caso da cidade de Mar Vermelho, Alagoas, com 3.474 habitantes e que sofre com falta de saneamento básico — presente em 14,9% das residências —, pavimentação — apenas 24% das casas estão em ruas asfaltadas — e emprego — somente 9,4% da população estava empregada de acordo com dados de 2019.

Mesmo diante desse cenário, o prefeito do município André Almeida (MDB) empregou R$ 370 mil em cachê para show de Luan Santana, previsto para agosto deste ano, dois meses antes das eleições. Os recursos foram enviados pelo senador Renan Calheiros e pelo deputado Isnaldo Bulhões, ambos do MDB.

Em São Luiz, Roraima, a prefeitura destinou R$ 800 mil por um show de Gusttavo Lima. A cidade tem cerca de 8 mil habitantes e, segundo dados do IBGE, menos da metade da população tem tratamento de esgoto e 17% das vias públicas estão urbanizadas.

O contrato é alvo de investigação do Ministério Público.

Justiça

Neste fim de semana, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Humberto Martins, suspendeu a realização da Festa da Banana em Teolândia (BA), no dia em que Gusttavo Lima se apresentaria.

O evento virou alvo do Ministério Público do estado após contratações que superam R$ 2 milhões por um município com menos de 20 mil habitantes, afligido por fortes chuvas no fim de 2021 e alega dificuldades fiscais para pagar servidores municipais, como professores.

Em Sergipe, a prefeitura de Areia Branca, concordou em pagar R$ 550 mil para o cantor Wesley Safadão se apresentar em uma festa que vai custar mais de 1,5 milhão aos cofres públicos.

Entre os 48 shows levantados pela reportagem do Estadão, em 35 foi possível identificar o valor dos cachês.

Parte dos municípios não chegaram nem a publicar os contratos. Em outro show de Wesley Safadão, em Conceição do Jacuípe, Bahia, de 33,6 mil habitantes, o prefeito Edinaldo Puridade (sem partido) afirmou que só saberá o valor após o pagamento ser efetuado.

No total, as cidades receberam R$ 28,5 milhões em emendas de parlamentares para o uso livre. (Jornal de Brasília)

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Sem dizer uma palavra, Khaby é a pessoa mais seguida do TikTok

O comediante Khaby Lame tornou-se o rei do TikTok, sem pronunciar uma palavra. Com mais …