terça-feira ,11 maio 2021
Página Inicial / Economia / Governo avalia flexibilização para bares e restaurantes; Abrasel critica falta de diálogo

Governo avalia flexibilização para bares e restaurantes; Abrasel critica falta de diálogo

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), prometeu analisar a demanda do setor de bares e restaurantes para permitir o consumo de bebidas alcoólicas aos finais de semana. Segundo o líder do PP na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), o deputado estadual Eduardo Salles (PP), o petista irá avaliar cada melhora nos índices da pandemia, apesar de não ter nenhuma definição específica.

“O governo está ciente. Conversei ontem com o governador na reunião de líderes. Acho que se tivermos melhoras de índices podemos ter boas notícias. Temos que nesse momento temos que ter um equilíbrio da balança. Como o próprio governador disse”. Colocamos para o vice [João Leão-PP), Casa Civil [Carlos Palma] e para o próprio governador”, disse Salles ao Bahia Notícias.

Segundo Salles, foram dois tipos de reivindicações do setor: uma econômica e outra de liberação das atividades. “Acho que se tivermos melhoria de índices podemos ter boas notícias. Temos que nesse momento temos que ter um equilíbrio da balança”, comentou.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Luiz Henrique do Amaral, o pedido de encaminhamento para análise da frente parlamentar encabeçada pelos deputados Tiago Correia (PSDB) e Eduardo Salles (PP) não tem avançado.

“A ausência de respostas e a emissão dos decretos quanto às bebidas, quanto do toque de recolher, resultam em ação. Fizemos uma carreata, levando os pleitos na governadoria. Da necessidade do toque de recolher para às 22h e a liberação de bebidas final de semanas. Essa equação que vemos. Fizemos uma ação com a prefeitura no Rio Vermelho, delimitando áreas, não atendendo ninguém em pé, mantendo o distanciamento, medição de temperatura. Precisamos de consumo responsável”, explicou ao BN.

Amaral revelou que, de acordo com levantamento da associação, com as medidas proibitivas de consumo de bebidas alcoólicas no final de semana e com o toque de recolher mantido para às 20h, apenas 20% do segmento pode reabrir de forma funcional. 

Luiz Henrique ainda pontua que o governo não promoveu nenhum debate com o segmento. “Nada. É triste e é aquilo que estamos buscando: o diálogo”, finaliza.

QUASE DOIS MESES DE RESTRIÇÕES
A proibição da venda de bebidas alcoólicas aos finais de semana na Bahia teve início no dia 26 de fevereiro, na segunda semana do toque de recolher anunciado por Rui Costa. Apesar de os bares e restaurantes terem tido o aval da gestão estadual para funcionar em parte do estado, a venda das bebidas com álcool segue proibida aos fins de semana.

Os mercados e supermercados também estão proibidos de comercializar este tipo de produto, segundo o decreto estadual que foi concebido para conter a disseminação da Covid-19.

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Mais de 90 cidades baianas ainda não repassaram os recursos da Lei Aldir Blanc

Quase uma centena de prefeituras baianas ainda não direcionou os recursos garantidos pelo governo federal …