Página Inicial / Economia / Ibicoara: Dívida no setor de educação, deixada pela antiga gestão, está próxima de R$1,5 milhão.

Ibicoara: Dívida no setor de educação, deixada pela antiga gestão, está próxima de R$1,5 milhão.

Os Servidores Públicos do município de Ibicoara, na Chapada Diamantina, reclamam e ao mesmo tempo denunciam a situação de “desordem” financeira que estão vivendo com a mudança de gestão municipal.  Os servidores estão sem receber o último salário do ano de 2020, além do direito a férias remuneradas pela antiga gestão de Haroldo Aguiar (PSD).

Conforme, denuncia de um Servidor Municipal que não quis se identificar: “O ex-prefeito não pagou os salários dos professores, nem as férias do setor de educação. O município tem mais de 700 servidores”.

Representantes do SINSERV que é o sindicato dos servidores públicos de Ibicoara teve reunião com o novo prefeito Gilmadson Melo, para falar sobre a situação e tentar intermediar os fatos, mas não houve muitos avanços nesse sentido por que o prefeito afirmou que: “a prefeitura não tem dinheiro suficiente em caixa para pagar todos os servidores e que o culpado é o ex. prefeito.”

Para além disso o atual representante da empresa de contabilidade da prefeitura recomendou que: “a prefeitura não realizasse nenhum tipo de pagamento antes de receber o documento oficial da situação financeira do município, assinado pelo ex-prefeito”, conforme orienta o TCM.

O contador da prefeitura salienta que o saldo deixado pela antiga gestão não cobre todos os débitos, além de “não ter sido formada uma comissão para avaliação e validação do documento, apresentado sem assinatura do ex-prefeito, ou seja, o processo de transição não foi feito da maneira correta conforme orienta a justiça.

Segundo o secretário de Finanças de Ibicoara, Hairan Silva de Oliveira, descreve em valores a situação, e afirma precisar de “R$886 mil para cobrir a folha da educação, pois o saldo da prefeitura destinado a pasta é de R$596 mil, porém a dívida deixada chega próximo a R$1,5 milhão”. O titular da pasta diz que “os números de saúde e da administração ainda não foram contabilizados por não termos acesso às documentações”.

O prefeito Gil, como é conhecido, depois de lamentar a situação da população de Ibicoara, ao ceder a palavra à contabilidade administrativa, declarou que “de acordo com o TCM, o município tem até o dia 31 de janeiro para apresentar o documento legal com todos os dados, sendo fornecidos pela equipe do ex-prefeito”, afirma. A gestão não sabe quando vai pagar os servidores.

Até o fechamento dessa reportagem o ex. prefeito de Ibicoara Haroldo Aguiar (PSD), ainda não tinha se manifestado oficialmente sobre o atraso salarial dos servidores na sua gestão.

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Rio de Contas: Acidente entre carro e caminhonete deixa um ferido

Um acidente envolvendo uma caminhonete e um carro de passeio em um trecho da BA-148, …