terça-feira ,28 setembro 2021
Página Inicial / Meio Ambiente / IRAQUARA: MP fará audiência pública na Comunidade Quilombola Riacho do Mel, sobre os poços artesianos da Embasa

IRAQUARA: MP fará audiência pública na Comunidade Quilombola Riacho do Mel, sobre os poços artesianos da Embasa

Foto: Divulgação

Após diversos protestos dos moradores da comunidade quilombola Riacho do Mel, no município de Iraquara, na Chapada Diamantina que temem com a possibilidade de ficarem sem água, após ter sido aprovado, um projeto do Governo do Estado da Bahia, para perfuração de poços artesianos, em área de preservação ambiental, o Ministério Público da Bahia (MP-BA), através da Promotoria Ambiental de Lençóis, irá realizar uma audiência pública, na quinta-feira (26), às 14h, no Espaço de Eventos, rua Beira Rio, na comunidade, sobre o referido projeto.

A perfuração dos poços está sob a responsabilidade da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) e tem por objetivo abastecer a cidade de Iraquara, ação a ser executada juntamente com a prefeitura da cidade. Entretanto, os moradores contestam a iniciativa, pois alegam que a vazão hídrica é insuficiente, além disso, a comunidade alega que não há informações suficientes sobre o impacto do projeto.

Foto: Divulgação

A comunidade, que fica situada numa Área de Proteção Ambiental (APA) promoveu, inclusive, uma petição on line contra o projeto, que já conta, atualmente, com 655 assinaturas. O documento informa que o projeto já possui 19 milhões de reais, para perfuração de cinco poços artesianos, em cima de um possível aquífero da região.

“Tal projeto traz consigo alto índice de destruição ambiental, pois poderá secar o rio nativo, matando tudo que estiver as suas margens, desde animais, plantas e os próprios quilombolas, pois dependem da pesca e do plantio para sua sobrevivência” apelam os moradores.

Em 2019 a Embasa enviou funcionários para a perfuração dos cinco poços na comunidade, com o escopo de abastecer Seabra, porém, a comunidade protestou e colocou barreiras para impedir o andamento das perfurações, alegando que tal projeto não havia sido apresentado e nem debatido com a comunidade. Desde então, a comunidade vem fazendo uma série de mobilizações em conjunto com o Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Ministério Público e as redes sociais.

Chapada News

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Suspeito de matar pediatra em clínica, utilizou durex nos dedos e teve digital reconhecida por palma da mão

Preso nesta segunda-feira (27), o suspeito de matar o médico pediatra Júlio César de Queiroz Teixeira, de …