Página Inicial / Saúde / Riacho de Santana, Boquira e Guanambi notificam Secretaria de Saúde sobre casos suspeitos de coronavirus

Riacho de Santana, Boquira e Guanambi notificam Secretaria de Saúde sobre casos suspeitos de coronavirus

As cidades de Riacho de Santana, Boquira e Guanambi entraram no mapa de suspeitas de casos do novo Coronavírus. A informação foi confirmada no boletim da Secretária de Saúde do estado emitido nesta terça-feira (10/03).

Conforme a SESAB, de janeiro até às 17 horas da terça-feira (10), a Bahia registrou 164 casos notificados com suspeita clínica de infecção pelo novo coronavírus, sendo 106 descartados laboratorialmente ou por não se enquadrarem no protocolo do Ministério da Saúde, 56 aguardam análise laboratorial e dois casos confirmados.

Além de Guanambi, Boquira e Riacho de Santana, as outras cidades notificadas são: Araci, Camaçari, Candeias, Feira de Santana, Ilhéus, Itabuna, Jacaraci, Jequié, Lauro de Freitas, Lençóis, Paripiranga, Pojuca, Porto Seguro, Salvador, Santa Cruz Cabrália, Santo Antônio de Jesus, São Félix do Coribe, Teixeira de Freitas, Tucano, Vera Cruz e Vitória da Conquista que já registrou 11 suspeitas.

É importante pontuar que o paciente com diagnóstico positivo para o novo coronavírus pode cursar com grau leve, moderado ou grave. A depender da situação clínica, pode ser atendido em unidades primárias de atenção básica, unidades secundárias ou precisar de internação. Mesmo definindo unidades de referência, não significa que ele só pode ser atendido em hospital.

Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento. Os casos leves devem ser acompanhados pela Atenção Primária em Saúde (APS) e instituídas medidas de precaução domiciliar.

O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). Na suspeita de coronavírus, é necessária a coleta de uma amostra, que será encaminhada para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-BA).

Para confirmar a doença, é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o genoma viral. O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito.

A fim de ampliar as medidas de prevenção contra infecções virais como Coronavírus, H1N1, H3N2 e Influenza B, as autoridades sanitárias municipais e estadual vem sensibilizando a sociedade sobre a importância da higiene regular das mãos e ratifica a necessidade de cumprimento da Legislação Estadual nº 13.706/2017, que determina a disponibilização de dispensadores de álcool gel por parte de estabelecimentos comerciais que prestam serviços diretamente à população. (Via Radar 030)

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Funerárias identificam aumento no número de mortos com problemas respiratórios na Bahia

Agentes funerários da Bahia relatam aumento no número de corpos cujas causas de mortes apontadas …