quarta-feira ,5 outubro 2022
Página Inicial / Noticias / Seabra: Moradores dos povoados de Barreirinho e Fazenda Malhada se queixam de água distribuída pela Central

Seabra: Moradores dos povoados de Barreirinho e Fazenda Malhada se queixam de água distribuída pela Central

Uma queixa frequente dos moradores dos povoados de Barreirinho e Fazenda Malhada, zona rural de Seabra na Chapada Diamantina, é a coloração escura da água distribuída pela empresa Central das Associações. De inicio, vale ressaltar que a Central é uma Associação sem fins lucrativos, que presta um serviço de manutenção nos sistemas de abastecimento de água das comunidades filiadas a ela, e todo recurso arrecadado pela Central volta para a comunidade em forma de manutenção e fortalecimento social.

Na fala dos moradores a água não tem qualidade nenhuma de consumo, “é desumano a nossa água”, fala uma das moradoras. Ela ainda ressalta que após algumas queixas a Central abriu outro poço “porém não faz o suficiente, a gente paga por essa água e não é barato” ressalta ela.

Em entrevista com Leonardo (Gerente da Central das Associações), “a Central vem buscando incansavelmente alternativas para solucionar [o problema]. O poço que toda vida atendeu a essas comunidades apresentou um mineral manganês, em baixa quantidade não prejudicial a saúde mas que devido a oxidação do material ele forma uma borra preta na tubulação, que quando falta água resseca dentro do tubo, e quando retorna a água que vem levando a tubulação acaba saindo nas torneiras essa água com cor de escura”.

Ainda segundo Leonardo a Central em parceria com o Bahia Produtiva e a CERB (Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia) perfuraram um outro poço, que com o tempo a vazão caiu. Com isso, a Central com recursos próprios perfurou um novo poço que também deu queda de vazão. Voltando a abastecer a população com a água do poço anterior, que tem o mineral manganês. Ele ainda esclarece que isso tudo que foi dito em entrevista, foi conversado com os moradores na reunião da associação, porém os moradores não têm o costume de aparecer as reuniões.

Como solução para o problema “a Central novamente acionou o estado em busca de uma alternativa e um novo poço foi perfurado, um poço que deu água de qualidade e em quantidade, toda obra de adutora já foi construída e estamos dependendo agora apenas da COELBA (Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia) fazer a extensão de rede, algo que não é tão simples e rápido assim, mas a CERB já fez toda burocracia e agora está nas mão da COELBA para resolver a situação”.

Leonardo ainda complementa dizendo que apesar de tudo que já foi feito, “a Central buscou junto a parcerias externa e instalou um sistema fotovoltaico que abate diretamente na conta da comunidade cerca de 50% do valor referente a energia do poço já pra desonerar a comunidade que também reclama bastante do valor da conta”.

Chapada News.

 

 

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Erros grosseiros de pesquisas eleitorais detonam credibilidade de institutos  

  As diferenças abissais entre os resultados reais da eleição deste ano e aqueles projetados …