terça-feira ,5 março 2024
[adsanity_group align='alignnone' num_ads=1 num_columns=1 group_ids=309]
Página Inicial / Bahia / Segurança: Empresa vence licitação para fornecer câmeras no fardamento de policiais militares da Bahia

Segurança: Empresa vence licitação para fornecer câmeras no fardamento de policiais militares da Bahia

A empresa Advanta Sistema de Telecomunicações e Serviços de Informática venceu a licitação para fornecer as câmeras de segurança no fardamento de policiais na Bahia.

O resultado foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), na quarta-feira (6), e divulgado pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-BA) nesta quinta (7).

Segundo informações do órgão de segurança pública, a empresa foi declarada vencedora após passar por análise de documentação e prova de conceito. O saque das câmeras na Ata de registro de preço gerada a partir da licitação passará por análise das Secretarias de Administração (Saeb) e da Fazenda (Sefaz).

Segundo o diretor de Videomonitoramento da Superintendência de Gestão Tecnológica e Organizacional (SGTO) da SSP-BA, major Jurandilson Nascimento, após a formalização e assinatura do contrato, a empresa terá 60 dias para fornecer as primeiras 1.100 câmeras, totalizando 3.300 em um ano.

A SSP-BA informou que mais de R$ 23 milhões serão investidos no equipamento, que deverá captar, transmitir, armazenar, gerir, além de realizar a custódia de evidências digitais obtidas nas atividades e diligências.

Antes da aprovação da Advanta Sistema de Telecomunicações e Serviços de Informática, quatro empresas foram desclassificadas durante o processo de licitação.

Chamadas de “bodycams”, os aparelhos são acoplados nas fardas e filmam as operações policiais. A instalação dos equipamentos nas fardas dos policiais foi uma promessa do ex-governador Rui Costa, que não foi cumprida durante o mandato dele.

Segundo o secretário de Segurança Pública, Marcelo Werner, a aquisição da tecnologia visa, dar mais transparência às ações policiais. As câmeras foram testadas em um estudo feito por universidade em Santa Catarina, no sul do Brasil, e implementadas em algumas unidades policiais do Rio de Janeiro em 2022.

Em julho, Marcelo Werner, em entrevista ao Bahia Meio Dia, falou sobre os casos de morte por armas de fogo no estado e o envolvimento da polícia nas ações.

“Muitas vezes esses casos são resultados de confrontos entre facções, ou entre facções e a polícia. Sempre que acontece um caso desse tipo, a gente tem que apurar rápido para dar uma resposta, seja com a Polícia Civil, a Polícia Técnica ou a Corregedoria da Polícia Civil que apura os casos de abuso”, comentou.

Com informações do G1

Sobre Redação

Você pode Gostar de:

Suspeitos morrem em operação policial em bairro periférico de Salvador; mais de mil estudantes tiveram aulas suspensas

Dois homens morreram após confrontos em uma operação conjunta das polícias Federal, Militar e Civil …

[wp_bannerize group="Banner Rodapé" random="1" limit="1"]